Brasil aproxima-se da liderança na produção de soja e a BRANDT aposta em nutrição inovadora para a cultura

O Brasil poderá bater novos recordes se o clima se mantiver favorável e os preços internacionais permanecerem em bom patamar”, informa o presidente da BRANDT do Brasil.

O plantio da safra agrícola 2018/19 inicia-se nos próximos meses e as perspectivas são muito positivas, segundo Wladimir Chaga, presidente da Brandt do Brasil, uma das maiores fornecedoras de fertilizantes do mundo. Para Chaga, a produção de grãos deve continuar em expansão, puxada pela soja e o milho. “A soja será novamente a estrela da safra, com aumento de pelo menos 5% de área plantada, especialmente nas áreas de renovação de pastagem no Cerrado. O Brasil poderá bater novos recordes se o clima se mantiver favorável e os preços internacionais permanecerem em bom patamar”, informa o presidente da Brandt do Brasil.

Esse crescimento da produção de grãos aproxima os números do Brasil com os Estados Unidos, atual líder global em milho e soja. Samuel Guerreiro, diretor para grandes culturas da Brandt no Brasil, diz que estamos perto de ultrapassar os norte-americanos na soja já na atual safra, podendo bater um novo recorde de produtividade. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil deve colher 116,9 milhões de toneladas de soja, após 114,1 milhões de toneladas na safra anterior. Quanto ao milho, os norte-americanos têm uma boa vantagem devido à superioridade na dimensão da área de plantio. Além disso, a falta de chuvas e o consequente atraso na semeadura em determinadas regiões de GO, MS e PR nos últimos meses, comprometeram a oferta do grão neste ano”, explica Guerreiro.

 Guerreiro destaca que o Brasil tem muito potencial a ser explorado e muitas áreas a serem abertas nas regiões norte, nordeste e centro-oeste. Mas o principal foco dos produtores tem de ser o aumento da produtividade. Para isso, o uso de modernas tecnologias é fundamental. “A nutrição das plantas é um dos pontos chave nesse processo, como forma de prevenir doenças a partir do aumento da imunidade das plantas e estímulo do sistema imunológico. A nutrição tem efeito direto na planta, sendo capaz de agir de dentro para fora, deixando-a muito mais vigorosa, forte e preparada para se defender de possíveis patógenos”, explica o diretor da BRANDT.

Samuel Guerreiro, Diretor Técnico para grandes culturas da BRANDT do Brasil

Samuel Guerreiro, Diretor Técnico para grandes culturas da BRANDT do Brasil

Um dos problemas mais comuns na soja é a ferrugem asiática e as denominadas doenças de final de ciclo (DFC), que vêm afetando drasticamente a produtividade das lavouras. Já no milho, há relatos em todo Brasil sobre a ferrugem e a mancha branca. Como forma de prevenir a ocorrência desses inimigos indesejáveis, é preciso nutrir e melhorar a sanidade das plantas, fazendo com que ela tenha mais imunidade a fim de fortalecer o seu sistema imunológico, o que garante que ela não fique tão suscetível ao ataque de pragas e doenças.

A Brandt trouxe ao Brasil as melhores e mais modernas tecnologias para proteger a agricultura nacional. “Temos uma ampla linha de insumos para o milho e a soja. Reforçamos a  linha SMART SYSTEM®, com um dos seus produtos principais: SMART TRIO®, que aumenta a saúde vegetal, corrige deficiências de nutrientes e torna mais eficientes as aplicações foliares, ajudando a mitigar o estresse das plantas cultivadas causados por herbicidas pós-emergentes, e a linha MANNI-PLEX ®, que garante a absorção e a translocação de todos os nutrientes aplicados na folha, auxiliando alguns nutrientes que são imóveis dentro da planta a ser transcolados por via xilema e floema”, explica Samuel Guerreiro.

Fonte: Monique Oliveira / Texto Comunicação Corporativa